11 de mai de 2009

Verborragia Feminina

Sou um dos poucos homens, confesso, apreciadores da verborragia feminina. Não dessas mulheres que precisam esvaziar a tolice porque a cabeça está lotada de frustrações de consumo..., mas daquela que se dispara a fim de transcender a lógica formal e expressar uma maré de sentimentos... lua cheia e o descontrole da onda ah... como falam... e expõem sua deliciosa relação com o mundo... paixão segundo GH... ela diz "puta que o pariu, demorei horas para arrumar o cabelo no salão e já estava quase na hora do teatro, assim não dá... saí toda espetada, com o cabelo ainda molhado e, quando cheguei, a porta estava quase fechada... já pensou perder a peça que demorei aaanoooss para conseguir agenda..." e fala e fala, não diz... e eu entendo, nos meus ouvidos perpassa um fio que se parece com isto: "a mim não me basta ser bela, o que importa é exercitar o orgulho fluido de ser em frente aos espelhos, é preciso estarficar linda e partir em busca do sublime, mas o sublime cerca-se de portões, é teatral, tem-se que correr, tem hora para começar... e a vida não".

Nenhum comentário:

Postar um comentário