21 de abr de 2009

Roteiro: Cidade de Deus, Bráulio Mantovani, 2001

A quem pretenda escrever roteiros é ótima opção para comparar o livro do Paulo Lins, Cidade de Deus, com o excelente roteiro escrito por Bráulio Mantovani.

É verdade que não acredito que se aprenda a escrever ou se aprenda qualquer tipo de arte com outra pessoa; mas, se quiserem material para boas idéias, recomendo este livro de Jean-Claude Carrière: A Linguagem Secreta do Cinema, ed. Cia. das Letras.

Trechos:
No livro, ele lista os truques que o cinema utiliza para burlar os obstáculos da realidade, que podem atrasar ou tornar um filme tedioso (e o tédio, segundo ele, é a morte do filme):

"- Num filme, o táxi está sempre desocupado no instante em que precisamos dele e o personagem sempre paga o preço exato sem olhar no taxímetro ou precisar de troco.
- Ao telefone, sempre disca-se seis números (para economizar tempo), a pessoa chamada sempre atende ao primeiro toque e o personagem sempre repete as palavras do interlocutor (Como vai? Melhor? E a sua esposa? Abandonou você?)
- O sexo no cinema é sempre de fácil execução, e os parceiros chegam ao êxtase juntos e rapidamente (melhor frase do livro: "Assim, os filmes de hoje são um monte de ejaculações precoces")
- Em brigas de rua, a pessoa cai desmaiada com único soco.
- Se a história não exige a presença de crianças, um casal vive anos juntos sem qualquer menção à procriação
- Qualquer atividade é familiar e corriqueira. Qualquer personagem sabe ler, nadar, dançar, cavalgar e fala muitos idiomas.
- Os personagens sempre conseguem quartos livres em hotéis.
- Os carros sempre pegam na primeira tentativa
- A cavalaria sempre chega bem na hora
- Você se barbeia sem se cortar e fuma sem ficar enjoada. Urina muito raramente - sem falar da outra coisa, que você jamais faz.
- As mulheres acordam lindas.
- Os viajantes puxam malas com a maior facilidade
- Quando alguém anota algo, faz isso com maravilhosa velocidade, tão rápido quanto o ditante fala.
- E quando uma jovem com aparência bem intelectual é tocada pelo sopro do amor, ocorre um verdadeiro milagre ótico - ela repentinamente deixa de usar óculos, sem qualquer efeito aparente sobre a sua habilidade de ler e escrever.
- As balas das armas dos filmes Westerns são infinitas
- Quando um homem comete um crime, chega ao esconderijo, ele liga a TV ou o rádio, e invariavelmente, naquele exato momento, o locutor está falando do seu crime e da sua escapada".

Um comentário:

  1. Adorei esse post... mas confesso que queria que um truque de cinema fosse verdade: a trilha sonora. Imagine você andando na rua e de repente algo acontece e começa um puta acorde, no refrão perfeito!

    [vou vasculhar os outros posts... rs!]

    ResponderExcluir