8 de out de 2009

Filme: Solaris, dir. Andrei Tarkovsky, 1972

Mais um filme genial de Tarkovsky (aqui no blog pretendo analisar todos), que tenta resgatar o humanismo lúcido, recolocando nosso modo de vida no centro da existência e não na periferia, derrubando assim mais um mito de esperança da época, a Ciência _ "o conhecimento só é verdadeiro se for moral". Quando muitos se empolgavam com as novas tecnologias: corrida espacial, mecanização dos campos, robótica, informática, energia nuclear etc, o artista antevia muito mais uma hecatombe iminente (ataque nuclear à Hiroshima em 1945, Guerra Fria, crise dos mísseis em Cuba em 1962 etc.). Em suma, o cineasta expõe a outra face do que chamavam evolução, sociedade evoluída e moderna, qual seja, a destruição. Noutras palavras, enquanto não nos resolvermos com nossos demônios, nossa identidade, nosso passado, nossos desejos e nossa relação com o outro, o que cair em nossas mãos é potencialmente destruidor. Do espaço, talvez, possamos resgatar a perspectiva de nossa pequenez (moral e dimensional) em relação ao cosmos e à vida em geral, fundando uma "nova" ética, o velho humanismo, que, na visão do diretor, conseguiria repor o que é verdadeiramente importante pra nós.


Destaco uma dentre tantas boas falas do roteiro, porque acho que esta ilustra melhor o humanismo de Tarkovsky, que assumidamente não pretendia realizar um filme de ficção científica, apesar deste tratar de uma viagem espacial ao estranho planeta Solaris.
Esta fala dialoga com um trecho da obra de Cervantes, Dom Quixote.

_Um brinde à Ciência!
_ Bobagem, nessa condição, um néscio e um gênio se equivalem. Não precisamos de outros mundos, o homem precisa é do homem.

(...) Ele não morreu de medo, morreu de vergonha.
Vergonha, um sentimento que salvará a humanidade.

Ama-se o que se pode perder, estamos no espaço e, pela primeira vez, o homem pode ser alvo de amor.
O amor é para ser vivido, não explicado.

Sinopse: "Chris Kelvin é um psicólogo que ainda sofre a perda de seu grande amor, Rheya, alimentando um sentimento de culpa pelo ocorrido. Kelvin é convocado para investigar o estranho comportamento dos integrantes de uma estação espacial que orbita o misterioso planeta Solaris, que perdeu contato com a Terra. Inicialmente relutante, Kelvin decide partir após ver um comunicado de Gilbarian, seu grande amigo pessoal, solicitando sua ajuda na estação Prometheus por razões que não quer explicar". Do sítio Sétimo Projetor

Direção: Andrei Tarkovski
Roteiro: Andrei Tarkovski e Fridrikh Gorenshtein, baseado em romance de Stanislaw Lem
Título Original: Solyaris
Origem: Rússia
Duração: 167 min
Formato: rmvb
Idioma: Russo/Alemão
Legendas: Português
Formato: rmvb

Mais comentários no sítio de Roberto Acioli.

Trecho:


Download via Rapidshare:

http://rapidshare.com/files/258682427/Solyaris.part1.rar
http://rapidshare.com/files/258731853/Solyaris.part2.rar
http://rapidshare.com/files/258761755/Solyaris.part3.rar

4 comentários:

  1. Simplesmente EXCELENTE !!!!
    Muito, mas muito obrigado!

    ResponderExcluir
  2. Olá Eonius, obrigado meu querido. Fique à vontade, mas é uma pena que acabaram com o Megaupload, a maoria dos filmes estava lá. Valeu!

    ResponderExcluir
  3. Belo filme. Escrevi sobre ele, aqui:
    http://pt.shvoong.com/entertainment/movies/2424301-solaris/

    Abraço,
    Maurício.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, acabo de ler seu comentário.... boas impressões, tem a mesma inversão que vi no filme, é muito mais consciência do que cosmos. Abraço, Maurício.

      Excluir