13 de set de 2009

Síndrome do Sol de Setembro

A rua era augusta.
A poeta no livro de lançamento diz na página 67: "a vontade de ficar deitados na cama o dia todo inibe a vontade de matar".
Por que o matar está ali, misturado àquela beleza abissal?
Seria o verbo matar ou o ato matar?
Quem seria (ou não seria) Mickey e quem seria Mallory?
Ela menciona o filósofo e de novo reflete sobre amor e morte.
Ela deitada seria diferente se estivesse andando de calça jeans e comendo amendoim Paulista afora?
Por que isso agora? "Despertar teia depois do sonho-água" (minha compulsão em não deixar o texto dos outros morrer pra mim e sair "completando")
e saber sol e secar e fazer tudo de novo, sem nenhum aprendizado.
Manual esloveno de patologias tropicais: síndrome do sol de setembro.

(p.67 do livro Ávida Espingarda, ed. [e]Editorial_ Annablume).

Um comentário:

  1. Ah! como foi que eu não vi isso antes? belo. belo. Fico feliz que tenha gostado, e feito ecoar de você por aí. (apaguei aquele comentário das vagas, mas fiquei muito grata, é que eu quero que minha prima consiga e apaguei pra ninguém mais ver. hihi.)

    valeu, valeu. Beij.

    ResponderExcluir