2 de nov de 2009

Filme: Stalker, dir. Andrei Tarkovsky, 1979

Obra-prima


O filme desenvolve-se por meio de três personagens, que representam, nesta ordem, o homem comum _ de crenças comuns, o artista e o cientista. O primeiro se encarrega de conduzir pessoas (condutor é o étimo que dá origem ao termo stalker, que de fato designa aquele que espreita, que observa de longe) a uma zona onde seus mais recônditos desejos são realizados. Os caminhos para chegar lá são tortuosos, põem a vida em risco e não permitem volta, um passo adiante é um passo sem retorno. O homem comum não pretende realizar outro desejo seu que não o já realizado, porque se sente satisfeito com o que já conseguira, conduzir pessoas. O artista tem seu propósito próprio e o cientista outro bem diverso.
Com esse roteiro, um dos mais inteligentes já escritos para o cinema, como se Albert Camus revivesse para a sétima arte, Tarkovsky revela uma profunda reflexão sobre o poder. O caminho referido, assim como as veredas de Guimarães Rosa, é a metáfora da própria vida, com a diferença de haver sido nela, na vida para Tarkovsky, detectadas zonas de poder onde uns poucos têm seus desejos realizados, configurando desse modo toda a vida restante, a partir desse locus especial de realização egoísta. Percebam a diferença entre as duas obras geniais citadas _ para Guimarães Rosa, não há um local especial de poder, a vida, o sertão, o jogo de forças entre bem e mal se pronuncia onde quer que estejamos; para o Russo, há pólos de poder onde o desejo de uma minoria configura todo o modo como nós vivemos e estes centros de poder expressam os mais íntimos desejos realizados dessa minoria. Daí o grande questionamento final, o que queremos enfim, o que pretende quem almeja o poder?
Destaco a fala:
_ Torço pelo veganismo, mas meu inconsciente clama por um bom bife.
Obra-prima sem dúvida. Fotografia espetacular, atores perfeitos, filme pesado que vale a pena ser revisitado pela vida inteira.

Direção: Andrei Tarkovski
Roteiro: Arkadi e Boris Strugatsky, baseado em livro de suas autorias
Título Original: Stalker
Origem: Rússia/Alemanha
Duração: 155 min
Formato: rmvb
Idioma: Russo
Legendas: Português
Formato: rmvb
Tamanho: 603 MB


"Vencedor do prémio especial do Júri do Festival de cinema de Cannes de 1980. Foi filmado, em sua maior parte, na Estônia, então integrante da União Soviética. Stalker é um termo inglês que significa, em tradução livre, "o espreitador", "aquele que se esgueira". Tarkovsky, os três atores principais, além de outras pessoas que se envolveram na produção, morreram poucos anos depois, em razão de tumores presumivelmente originados da exposição às instalações industriais (radiotivas) da Estônia, onde várias cenas do filme foram gravadas".
Trailer:


Mais comentários extraídos do Sétimo Projetor:
Artigo:
A Zona de Tarkovski, por Roberto Acioli de Oliveira


Download via rapidshare:
http://rapidshare.com/files/270628537/Stalker.part1.rar
http://rapidshare.com/files/270661882/Stalker.part2.rar
http://rapidshare.com/files/270693077/Stalker.part3.rar

4 comentários:

  1. Olá
    Obrigado por linkar meus comentários em relação a Stalker e Solaris.

    Grande abraço

    ResponderExcluir
  2. Obrigado Roberto, são informações que acrescentam e incentivam a conhecer os filmes dessa fera. Um abraço.

    ResponderExcluir
  3. só uma dúvida: 'stalker' também não é a denominação dada a certos indivíduos sensitivos que usavam uma forquilha para encontrar água? Parece que eles saíam andando com a forquilha apontando pelo chão à procura de 'sinais radiestésicos' que indicassem presença de água, ou sei lá mais o quê.

    ResponderExcluir
  4. Sim, sim para trazer o termo para o português tal como foi empregado teríamos que escolher algo entre guia, batedor e rastreador (no sentido como é usado por quem vai explorar uma área desconhecida, px. quem vai passar pelo deserto, vai entrar na Amazônia, etc leva um batedor, geralmente nativo, que conhece o terreno). Já ouvi o termo relacionado a caçador de água, de planta, de bicho, de caverna etc.

    ResponderExcluir